Mochilão na Rota das Emoções: o guia para organizar a sua viagem - Blog Rota das Emoções: O melhor sobre a Rota das Emoções
Mochilão na Rota das Emoções: o guia para organizar a sua viagem

Se você é um aventureiro de carteirinha e sempre está em busca de novos lugares para explorar, saiba que fazer um mochilão na Rota das Emoções é uma experiência marcante, vislumbrante e totalmente sintonizada com o ecoturismo. 

Integrando destinos que estão entre os mais belos no vasto território brasileiro, todos os viajantes que já fizeram o trajeto trouxeram somente elogios e lembranças, com um gostinho de quero mais. 

Em passeios que unem valorização da fauna e flora, esportes radicais, paisagens paradisíacas, gastronomia de dar água na boca, hospedagens confortáveis e comunidades acolhedoras, a rota é uma escolha para pessoas de todas as idades, sem contraindicações. 

Para você fazer um mochilão digno de um sonho, continue lendo este post e veja dicas imperdíveis para que tudo saia como o planejado! Acompanhe!

Como fazer uma viagem de mochilão?

Apesar do termo mochilão soar como algo mais descontraído, libertário, alheio aos locais mais badalados e em total sintonia com a natureza, a prática se difere no quesito organização.

Afinal, aventura nenhuma sairá bem-sucedida se você não tiver compromisso com os agendamentos de campings, pousadas ou hotéis, além de estabelecer uma meta de gastos e de tempo médio de permanência em cada região. 

Com o objetivo de aproveitar, ao máximo, o seu mochilão na Rota das Emoções, a busca por informações precisas e contatos de pessoas e empresas que contam com experiência no setor é fundamental. 

Portanto, você já está no caminho certo. Continue acompanhando o nosso post e ganhe tempo na sua preparação. A primeira dica após se inteirar do assunto é, obviamente, comprar uma mochila boa. Vá em lojas especializadas e escolha uma sem economizar, pois o barato pode sair caro nesse quesito.

Caso você escolha viajar acompanhado, encontre companheiros de viagem que estejam alinhadas com o roteiro definido. Isso porque não existe situação mais desagradável do que chegar em seu destino e ter que ficar pajeando ou estimulando quem sempre tem motivos para reclamar. E vale lembrar: ser mochileiro é estar bem consigo mesmo.

Depois de analisar roteiros e estabelecer os locais que merecerão ser visitados, faça um cálculo de quanto de dinheiro você vai precisar investir, economizando no dia a dia para que a meta seja alcançada no tempo hábil. 

No mais, vá estimulando o seu desejo dia após dia, ouvindo, lendo e vendo histórias sobre os lugares, fazendo com que a expectativa para a sua viagem cresça cada vez mais! Essa é uma experiência única que merece se vivenciada com muito prazer. 

Como é um mochilão no Nordeste?

Opções não faltam de lugares pra lá de sintonizados com o estilo de quem faz mochilão. Como esse tipo de viagem exige espírito aventureiro, menos consumismo, amor pela natureza, desapego e velocidade sintonizada com o movimento da Terra, o Nordeste é arretado demais.

Locais que oferecem uma diversidade de experiências farão você se deslumbrar em todos os momentos vivenciados nessa parte do litoral brasileiro. No entanto, existem destinos maravilhosos que valem sempre ser priorizados, como Ceará, Piauí e Maranhão.

São dunas, praias cinematográficas, rios, fauna e flora exuberantes, hospedagens que valorizam o pé na areia, sem deixar de lado o acesso à tecnologia, preços mais convidativos em comparação aos lugares badalados, enfim, tudo conectado aos conceitos de quem é mochileiro. 

Entre todos os pontos turísticos desses três estados, a Rota das Emoções é o principal deles, reunindo 14 municípios. Falaremos um pouco mais sobre isso nos próximos tópicos!

Como é o mochilão na Rota das Emoções?

Você já parou para pensar e conseguiu encontrar alguma rota de viagem pelo Brasil, em 10 dias, que reúna passeios por praias de mar e de rio, dunas, lagoas, campos, florestas de mangue, trilhas, a presença de animais, “picos” com títulos de melhores para o kitesurfe e ainda aventuras em parques reconhecidos internacionalmente que revelam, a poucos metros das suas pupilas, a exuberância da fauna e da flora brasileira? 

Pois essa é a realidade que você vai encontrar na Rota das Emoções, considerada na atualidade a menina dos olhos do ecoturismo nacional. Portanto, veja agora o que cada estado reserva para você!

Quais são os principais destinos?

O seu mochilão pode começar pelo Maranhão, especificamente na capital São Luís. Conhecendo casarões, a ideia é, primeiramente, mergulhar nos atrativos da cidade, como uma passadinha pela Igreja da Sé e pelos palácios, degustando ainda da efervescência cultural da Jamaica brasileira. 

Depois, embarque para nada menos do que os Lençóis Maranhenses, onde você se sentirá uma formiga diante de tamanha exuberância e grandiosidade das dunas. Com acesso pelos municípios de Santo Amaro e Barreirinhas, você deve se dirigir para o Parque Nacional, o começo da rota que deverá mudar a sua vida. 

Lençóis Maranhenses 

Com 150 hectares de extensão, você só conseguirá visitar intensamente os Lençóis Maranhenses por meio de veículos de transporte eficazes, ou seja, a utilização de caminhonetes off-road é primordial na região. Mas não se preocupe, pois as empresas especializadas incluem no pacote os traslados e toda a estrutura para você chegar nos pontos mais irados.

A imensidão das dunas se entrelaça com as lagoas cristalinas. Assim, dentro do deserto brasileiro, mas com água abundante, você poderá não só contemplar a natureza, como também se refrescar em um banho, seja no mar ou na lagoa, como a Azul, além de refletir, brincar, se aventurar escorregando na areia ou simplesmente sentir o vento soprar. 

A experiência é única e conquista os turistas mais refinados. Estar ao lado da natureza exige ainda passeios mais ousados, como de lancha pelo Rio Preguiça rumo à praia de Caburé. É uma viagem que reserva paisagens selvagens, como mangues, palmeiras, santuários de aves, répteis e mamíferos. 

Na praia de Atins, existe também a possibilidade de praticar o kitesurf em razão da presença constante de vento. Degustando de uma gastronomia recheada de frutos do mar e saudando as comunidades locais, agora é hora de ajeitar as roupas na mochila para a próxima parada: o Piauí

Delta do Parnaíba 

Depois das vivências no Maranhão, você vai entrar no coração da Rota das Emoções. A cidade de Parnaíba, além de ser a porta de entrada para o maior Delta das Américas, formando mais de 70 ilhas, ainda proporciona uma viagem ao tempo em lições de história, com seus personagens encarnado em atores e os casarões imperiais. 

Estando diante de uma diversidade ecológica para biólogo nenhum botar defeito, no Delta os destaques para o seu mochilão ser impecável são os passeios nas embarcações que fazem safáris para você observar o habitat natural e rotina de várias espécies, como jacarés, macacos-prego, bugios, iguanas, caranguejos, guarás vermelhos, cobras, peixes variados e plantas exóticas da região. 

Vale a pena você fazer safáris tanto de dia quanto de noite, aumentando a adrenalina e ainda observando animais como os jacarés e as cobras. Em uma área de 2.700 Km2, o Delta é fruto da preservação ambiental que conta com inúmeras ações das comunidades locais e também do auxílio do turismo sustentável que se pratica por lá. 

Nos deslocamentos de barco pelas ilhas, como Caju, Canárias e Santa Izabel, conheça também a Ilha do Cavalo Marinho, onde, como o próprio nome diz, você poderá ver vários da espécie, além de conhecer as histórias curiosas contadas pelos guias que formam associações que valorizam a consciência ambiental. 

Fora da água, a dica se estende a uma visitação à Associação das Rendeiras Nordestinas. Na comunidade, as mulheres produzem trabalhos delicadíssimos e que recebem elogios até mesmo de estilistas internacionais. Feitos de renda de bilro genuíno, as peças vão contagiar você. E, como são leves, poderão entrar em um espacinho na sua bagagem de volta.

Está percebendo os motivos que influenciaram na escolha do nome da rota? Então se prepare agora para entrar no universo do Ceará!

Jericoacoara

Logo na estrada rumo à Jericoacoara já haverá motivos para observar paisagens excêntricas. Exemplo são as formações rochosas da cidade de Chaval, como a Pedra da Carnaúba, que conta com uma estrutura arredondada. 

Na cidade de Camocim, as praias são lindíssimas, com um azul turquesa jamais visto em outro lugar. Na de Tatajuba muita gente cai na água para voar no kitesurf antes de chegar ao destino final.

Mais conhecida como Jeri, a praia surgiu por meio de uma vila de pescadores e hoje é uma das melhores do mundo. Propícia para um merecido descanso, dunas e lagoas casam com um pôr do sol ímpar sem palavras para explicar.

A gastronomia também reserva um espaço especial para a sua viagem. Mas, antes de chegar lá, é muito importante fazer o devido planejamento, sobre o qual falaremos a seguir.

Como organizar e planejar a viagem? 

Envolvendo mais de 10 municípios e atrações que se perdem de vista, fazer a Rota das Emoções necessita de um prévio planejamento. A primeira dica é realizar pesquisas e consultar pessoas conhecidas que já fizeram o caminho para você contar com as melhores orientações. 

Depois, entre em contato com as empresas indicadas ou as que você confia e reserve as suas estadias. É essencial fazer um check-list que envolva itens importantes, que serão apontados a seguir. Acompanhe!

Atente para a duração da viagem

A média de viagem dos mochileiros que se aventuram pela Rota das Emoções é de 7 a 13 dias, ou seja, resolva tudo em sua vida que precisaria da sua presença, deixando esse período do mês escolhido para que não haja interrupções no roteiro. 

Portanto, momentos de férias são ideais para completar o percurso, tendo em vista que ficar apenas 5 dias poderá não ser um tempo hábil para você conhecer todos os lugares. Outra orientação é planejar muito bem a permanência em cada cidade. 

Em Parnaíba, por exemplo, você pode decidir dar uma esticadinha no roteiro para conhecer a bela praia de Barra Grande, que fica a 70 Km do local, ou seja, coloque prioridades com antecedência para você não se perder no famoso vou ou não vou.

Saiba o que vai levar

O mochilão na Rota das Emoções exige um cuidado especial quando você for separar o que levar. Isso porque o excesso de peso pode ser um comprometedor em seus deslocamentos e fator limitador nos transportes.

Como faz muito sol no Nordeste, você poderá lavar as roupas quando estiver nas paradas, seja em camping, hotel ou pousada, ou seja, nada de extravagâncias. 

A dica é pensar no que você terá pela frente: caminhadas (embora curtas), altas temperaturas, praias, passeios de barco, areia, esportes aquáticos (para adeptos), curtições em quiosques ou vilarejos, enfim, tudo isso.

Portanto, chinelo, tênis ou sandália para treckking, blusas corta vento, calça de nylon, camisetas de algodão e bem leves, sungas, biquínis, protetor solar, repelente, kit primeiros socorros, remédios para náuseas, boné e óculos de sol não podem ficar de fora. 

Lembre-se também de levar o celular ou câmera fotográfica, cartões de débito e crédito e dinheiro vivo. Isso porque você poderá se deparar com comerciantes que não oferecem maquininhas, sendo sempre útil contar com notas no bolso ao longo dos passeios. Caso a sua opção seja o acampamento, não se esqueça do saco de dormir, barraca, canivete, lanterna, entre outros.

Insira também nécessaires para carregadores, baterias e pilhas e um para objetos de higiene pessoal. E pense sempre: menos é mais. Portanto, nada de querer inventar. Seja a sua primeira ou décima viagem com mochila nas costas, preze sempre pela funcionalidade. 

Escolha a data de partida

Como todo bom nordestino, não tem tempo ruim para fazer o seu mochilão em qualquer época do ano pela Rota das Emoções. Mesmo sabendo que em períodos mais secos algumas lagoas ficam um pouco vazias, existem tantas que sempre haverá uma com bons níveis de água.

Para você ficar bem inteirado sobre o assunto, a cheia vai de maio a agosto. Já de setembro a outubro e de fevereiro a abril o nível da água cai e fica um pouco mais baixo de novembro a janeiro. Isso pode variar de acordo com o índice de precipitação de cada ano, claro.

No caso de quem quer mesmo economizar, como todo e bom mochileiro, a dica é viajar na baixa temporada, pois os preços caem em tudo, da hospedagem aos passeios, passando pelos restaurantes e traslados.

O ideal é você fazer um cronograma de acordo com suas possibilidades, independentemente se for durante os meses de férias escolares ou não. 

Defina se vai sozinho ou acompanhado

Assim como a diversidade das paisagens, a Rota das Emoções apresenta ainda mais essa vantagem: ela pode ser feita por pessoas de todas as idades, desde que estejam em boas condições de mobilidade, inclusive por crianças acima de 5 anos. 

Dessa maneira, o seu mochilão pode estar sintonizado com a sua condição de vida. Quem é casado e tem dois filhos, sendo um de 7 anos e outro de 11 anos, por exemplo, poderá adequar o pacote à realidade da família. 

Dessa forma, isso também pode ser feito por um casal de 65 anos ou mais. O mochilão na Rota das Emoções vale ainda para jovens que optam em viajar sozinhos ou amigos que querem aproveitar os momentos juntos. É uma excelente pedida para uma lua de mel dos sonhos e também para renovar os votos de união de casais que já estejam há um bom tempo juntos.

Afinal, a maior parte dos passeios conta com transfers tanto em barcos quanto em veículos off road, sendo a maioria das caminhonetes com ar-condicionado, ou seja, a comodidade sempre estará garantida. Boa parte de quem faz a rota com a mochila nas contas opta por serviços compartilhados (regulares) recém implementados pela rotacombo.com.

Além disso, a água nos lagos é bem calma e quente, fazendo com que as experiências possam ser sentidas por turistas de todas as idades, sem contraindicações.

Qual roteiro deve ser escolhido para essa viagem? 

Tendo em vista que a Rota das Emoções tem na diversidade sua companheira ideal, você também pode escolher o roteiro que melhor se adeque ao destino do seu voo. 

Afinal, é possível desembarcar no Aeroporto Internacional de São Luís, iniciando de lá as viagens de veículos automotivos pelas outras regiões, ou ir direto ao aeroporto de Jericoacoara, Fortaleza e até mesmo ao de Parnaíba, pois recebem voos vindos de São Paulo, Campinas (SP). Ou seja, a rota pode ser feita na ordem indicada no post ou de forma invertida, começando pelo Ceará. 

O ideal é que o seu roteiro seja contemplado pelas principais cidades que formam o mapa do circuito, eleito como o melhor do Brasil pelo Ministério do Turismo, em 2009.

Portanto, feche pacotes com empresas especializadas que já pegarão você ou todos os viajantes da sua família na porta do aeroporto escolhido para desembarque, sem problemas causados pela procura de carros de aluguéis, ônibus ou outras situações que possam desestabilizar o seu passeio.

Como escolher a hospedagem?

De hotéis requintados, com toda a infraestrutura de primeiro mundo, a hospedagens simples, a Rota das Emoções está adequada aos padrões do turismo sustentável, com acomodações que não deixam a desejar nem nos campings.

Em todos os municípios, os visitantes poderão desfrutar de hotéis e pousadas muito especiais, com todo o conforto e instalações sintonizadas ao que há de melhor no mercado hoteleiro do Brasil e do mundo. E o melhor: os ambientes se integram com a natureza e trazem traços rústicos que inspirarão ainda mais a sua viagem. 

Os quartos são climatizados, o acesso à internet funciona bem, há profissionais capacitados no atendimento aos hóspedes, inclusive bilíngues, além de serviços que contribuirão com o seu bem-estar, como massagem, cofres, TVs e DVDs, piscinas, enfim, você não vai passar perrengue de forma alguma.

Quais são os principais passeios e atividades?

Além dos destinos descritos acima nesse post, a Rota das Emoções conta com vários outros lugares incríveis para o seu passeio. Em Fortaleza, por exemplo, o Beach Park merece um dia de pura adrenalina. Praia do Futuro é a praia mais badalada da cidade. No litoral do Piauí, vá às praias de Coqueiro e do Arrombado, que oferecem ótimos lugares para comer com o pé na areia. 

Barreirinhas também é um paraíso, com boa infraestrutura e cercada pelas águas escuras do rio Preguiças. Jeri é tudo de bom e Delta do Parnaíba fará você se sentir literalmente dentro do habitat dos animais silvestres, sem falar na emoção de estar ao lado da exuberância do ecossistema que somente o Brasil pode proporcionar.

Em todos os municípios, atividades não faltarão para ocupar com muita qualidade todos os dias da sua aventura. Além do cronograma oferecido pelos pacotes, que incluem os pontos turísticos já citados, podemos adicionar na programação os esportes de aventura, como kitesurf, windsurf, stand-up, sem falar na emoção de passear com veículos 4X4 nas dunas. 

Além disso, as praias disponibilizam espaços para criatividade, não deixando os momentos em branco. Paisagens excelentes para uma paquera, um momento especial com quem você ama e brincadeiras com as crianças certamente deixarão todos os dias com uma sensação intensa e de quero mais.

A dica que não pode fugir do seu roteiro é sempre seguir o check-list do que levar nos passeios de barco e também pelas praias. Roupas leves, toalha, blusa corta vento, acessórios de banho, óculos de sol, boné ou chapéu, protetor solar, repelente, dinheiro vivo, líquidos e lanches rápidos, como barrinhas de cereais ou snacks, são essenciais. 

Quais serão os principais gastos? 

Os gastos de um mochilão na Rota das Emoções ficam bem menores em comparação a uma viagem tradicional para um destino badalado existente no Brasil. No entanto, tudo vai depender das suas escolhas e vontades. 

Existem hotéis de primeiro padrão e pousadas com valores menos salgados e até campings que cabem no bolso até mesmo de estudantes. Por isso, faça uma lista de prioridades e estabeleça os seus gastos de acordo com o orçamento reservado para a viagem.

Agora, em busca de economias consideráveis, como todo bom mochileiro faz, vale a pena escolher meses que integram a chamada baixa temporada quando os valores caem até 50% em tudo o que se faz, de hospedagens a restaurantes, passando pelos passeios e traslados.

Uma dica bacana é procurar pelos pacotes promocionais, como os existentes na Rota Combo, onde você vai inserindo no carrinho do site os pontos escolhidos, vendo quanto terá que desembolsar, além de receber dicas imperdíveis. A vantagem é que os valores podem ser parcelados por meio das operadoras de cartões, facilitando a vida do viajante. 

Como a rota é ampla e necessita de, no mínimo, 7 dias para ser finalizada, os gastos variam muito em razão das preferências de cada turista. Portanto, faça uma pesquisa e feche a proposta que estará dentro das suas possibilidades.

Como fazer um mochilão perfeito?

Mochilão é sinônimo de vida em equilíbrio com a natureza. Ao se aventurar pela Rota das Emoções, lembre-se sempre de respeitar o meio ambiente, jogando lixo no lixo, tirando apenas fotografias das paisagens, sendo gentil com as pessoas e animais e valorizando a cultura dos vilarejos e cidades. 

Não deixe de se preparar fisicamente e emocionalmente. Planeje com carinho especial a sua viagem, pois a rota oferece diversas opções de roteiro, para todos os gostos e bolsos.

Muito além do que apenas uma viagem, desbravar as regiões do Maranhão, Ceará e Piauí marca vidas. Transforma o ser e faz com que muita gente volte diferente após um mochilão na Rota das Emoções. Portanto, inspire-se e saiba que você ficará bem mais sintonizado com a natureza e com o mundo ao seu redor após desfrutar de todos esses locais fantásticos e estimulantes do turismo brasileiro.

Está pronto para embarcar nessa aventura? Quer começar agora mesmo a receber informações da rota? Então assine a nossa newsletter e fique mais perto de todas as novidades sobre ecoturismo pelo Nordeste! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This